Festas “julinas” reforçam alerta de cuidados com fogos de artifício

Com o cancelamento de festividades por conta da pandemia, festas juninas e agora, “julinas”, foram adaptadas em casa, somente com familiares, para evitar aglomerações. Muitas pessoas, porém, não abrem mão dos fogos de artifício, típicos da época, mas o manuseio inadequado pode estragar a celebração, como aconteceu no fim de junho, na Paraíba. Um garoto de 11 anos se feriu enquanto manuseava fogos no bairro Três Irmãs, em Campina Grande. O presidente da SBCM (Sociedade Brasileira de Cirurgia da Mão), João Baptista Gomes dos Santos, ressalta que mais do que queimaduras, os fogos de artifício podem causar lesões com lacerações, cortes e até amputações de membros.
“As mãos e punhos têm estruturas complexas, de grande importância no corpo, pois são formados por muitos tendões, ligamentos, ossos, nervos que propiciam sensibilidade e comandam os movimentos dos músculos, além de importantes artérias que irrigam os mesmos. Então, uma lesão, queimadura ou amputação traz graves consequências para a vida das pessoas”, salienta o especialista. “O recomendado é que os artefatos sejam acionados com o uso de suportes, algum objeto prolongável entre a mão e o artefato, mas nunca segurados diretamente nas mãos”, completa.
Com as crianças, como o caso ocorrido recentemente na Paraíba, o encantamento que o colorido dos fogos exerce sobre elas faz com que os pequenos queiram estar próximos dos adultos no momento do lançamento dos artefatos. Mas elas devem ser mantidas afastadas do local e os pais ou responsáveis precisam ficar atentos sobre onde estão e de que forma estão se divertindo, para evitar acidentes.
Dr. João ressalta que também é preciso tomar cuidado com as biribinhas (bombinhas que estouram quando lançadas ao chão), “pois as faíscas podem atingir substâncias com potencial para incêndio e provocar acidentes”, explica. “E nunca use materiais de fabricação caseira. Compre fogos de artifício apenas em lugares especializados, siga atentamente as instruções do fabricante e verifique se não existem materiais combustíveis nas proximidades”, conclui o presidente da SBCM.
Sobre a Sociedade Brasileira de Cirurgia de Mão – A SBCM (Sociedade Brasileira de Cirurgia de Mão), fundada em 1959, congrega médicos especialistas em Cirurgia da Mão e Reconstrutiva do Membro Superior. A instituição promove a formação de profissionais, além de fornecer condições para atualização permanente, sob a forma de ensino, pesquisa, educação continuada, desenvolvimento cultural e defesa profissional.
Mais informações em http://www.cirurgiadamao.org.br/

Acesso Rápido

Ampliada vacinação contra dengue para crianças de 10 a 14 anos

Desde quinta-feira, 11 de abril, a Prefeitura de São Paulo ampliou a vacinação contra a …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *