LGPD x Recrutamento e Seleção, especialista avalia impactos nas empresas

“Além do consentimento do candidato para armazenar os dados, a LGPD obriga gestores a usá-los para fins específicos durante vigência contratual”

A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) está em vigor no Brasil desde o dia 18 de Setembro de 2020, com o propósito de oferecer mais controle, proteção e transparência aos usuários em relação aos dados pessoais que empresas públicas e privadas armazenam.
Dayandra Sanches, Headhunter e fundadora da Advisorh Talent Solutions, especialista em Gestão de Pessoas com ênfase em liderança, inovação e administração pela Fundação Getúlio Vargas, enfatiza sobre as alterações que ocorreram nos últimos meses.
“Uma das principais mudanças nesse período é que, além do consentimento do candidato para armazenar seus dados pessoais, a LGPD obriga a empresa a usá-los para fins específicos e por tempo determinado, bem como ser clara sobre o motivo de captar determinadas informações”.
Dayandra, também destaca a importância de saber utilizar os dados compartilhados. “A empresa deve ser transparente sobre o compartilhamento de dados com terceiros, assim como ter e cumprir um processo de descarte dos dados fornecidos pelos candidatos, bem como as informações sobre testes de perfil comportamental ou personalidade”.

Acesso Rápido

Estatuto da Pessoa Idosa sofre alterações. Saiba seus direitos!

O Estatuto do Idoso (Lei nº 10741/2003), a qual fui membro da Comissão Especial para …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *